👁‍🗨 Startup que prometia revolucionar os serviços jurídicos, captou US $ 75 M mas desistiu do modelo e demitiu a maior parte dos advogados.

A empresa decidiu "pivotar" e criar uma rede de serviços profissionais.

A startup Atrium, lançada em 2017 com a promessa de transformar a prestação de serviços jurídicos, demitiu a maior parte de sua equipe de advogados em uma reestruturação anunciada no dia 13 de janeiro.

O co-fundador e CEO, Justin Kan é um empreendedor conhecido em Silicon Valley, tendo vendido a sua empresa anterior Twitch para a Amazon por quase US $ 1 bilhão em 2014.

atriumandreessen

A startup levantou um financiamento inicial de US $ 10,5 milhões em 2017 e outros US $ 65 milhões em setembro do ano passado, liderados pela badalada empresa de capital de risco Andreessen Horowitz.

A empresa prometia “revolucionar os serviços jurídicos” por meio de um modelo composto por duas entidades legais, sendo um escritório de advocacia, a Atrium LLP que presta serviços jurídicos para startups a preços fixos e uma entidade separada mas conectada, denominada Atrium Legal Technology Services que tem como foco fornecer serviços e tecnologia jurídica para o escritório e automatizar tarefas repetitivas.

A Techcrunh (revista on-line focada em Tecnologia) sugere que esta é uma ação proativa pois “ … A Atrium não quer ser a próxima startup a implodir à medida que a indústria da tecnologia aperta seu cinto e os negócios perseguem margens em vez de crescer por uma economia insustentável. …” E também dá uma indicação de qual será a estratégia geral a partir de agora “ … se concentrará em seu software para startups que buscam captação de recursos, contratação e colaboração com advogados assim como aumentar seus serviços de consultoria para startups.

Outro enorme foco será a sua rede de prestadores de serviços profissionais que ajudam os clientes a resolver as questões jurídicas do dia a dia. Os advogados demitidos receberão vagas como provedores preferenciais nessa rede se abrirem o seu próprio escritório ou se juntarem a outro. …” E Kan complementa "manteremos um pequeno grupo de parceiros internamente" para atender clientes com serviços estratégicos, como financiamento e fusões.

O apoio do ecossistema aos advogados demitidos tem sido forte como pode ser observado no Linkedin.

E se iniciaram uma série de discussões na internet sobre qual seria o melhor modelo de negócios a seguir e o modo de operações da startup.

Pelo potencial futuro, é certo que o ecossistema jurídico, incluindo os escritórios de advocacia, as legaltechs e os VCs além do ecossistema geral de startups irá acompanhar com interesse os próximos passos da Atrium e você poderá se manter sempre atualizado através da Newsletter LighTjur.


Para compartilhar este artigo através do WhatsApp, basta clicar aqui.

Ou para compartilhar através de outros meios, clique no botão abaixo.

Share


Caso ainda não tenha se inscrito na Newsletter, basta colocar o seu email abaixo.


Outras notícias interessantes desta semana na Newsletter LighTjur - conheça!